Home » Dicas de Viagem » Beer Art – Uma festa germânica no Brasil Imperial
Dicas de Viagem

Beer Art – Uma festa germânica no Brasil Imperial

Em pleno inverno, um evento ao estilo das Oktoberfests espera mais de 350 mil pessoas: a Bauernfest

Antes restritas a cidades de colonização alemã no Sul, como Blumenau (SC) e Santa Cruz (RS), as festas germânicas conquistaram nos últimos anos outras regiões do país. Tanto que a maior cidade brasileira agora também tem a sua Oktoberfest (a primeira edição ocorreu em 2017). Mas não é só em outubro que se degusta um bom chope harmonizado com as tradições da nação europeia. Na serra fluminense, em pleno inverno, há três décadas ocorre anualmente uma das mais animadas celebrações germânicas deste lado do continente. É a Bauernfest, que em 2019 realiza a sua 30ª edição, entre 14 e 30 de junho.

Bauernfest Petrópolis
Foto: Edgar Pujol

O evento, com entrada franca, reúne todas as atrações típicas: trajes, jogos ao estilo chope em metro, bailes com bandinhas, desfiles, grupos de folclore, cardápio com chucrute e linguiça e cuca, entre outras muitas tentações. Cada vez mais tem também estandes com opções de artesanais, até porque essa região é um polo cervejeiro.

Por 16 dias, Petrópolis se transforma em burgo alemão. A época oferece um interessante contraste na história desse município conhecido como Cidade Imperial, onde o Imperador Dom Pedro I sonhou construir sua residência de verão, o Palácio da Concórdia. A obra acabaria concretizada pelo filho, Dom Pedro II, e hoje consiste no Museu Imperial.

Mais de um século depois, um turismo cheio de vitalidade é uma das heranças da família real. A expectativa é de que Petrópolis receba, entre maio e agosto, cerca de 1 milhão de visitantes, ou seja, metade da média registrada por ano. Os meses de junho e julho são o ápice da temporada – e este também é o período da Bauernfest. Com sua programação em torno do Palácio de Cristal de Petrópolis (RJ) e arredores, espera mais de 350 mil pessoas.

Veja também:  Gari pé de valsa faz sucesso na internet
Foto: Edgar Pujol

A atração nasceu de um evento simples, a Festa do Colono Alemão. Descendente de quatro famílias alemãs, Emygdia Hoelz sugeriu uma singela celebração das origens, complementando as festividades organizadas pelo Clube 29 de Junho. Com apenas três barracas no entorno do Palácio de Cristal, era o embrião da Bauernfest, o Festival Germânico.

“O diretor do Palácio de Cristal na época sugeriu o local. Eu consegui as três barracas com a Igreja Luterana e as transportamos de carroça para o evento. Pedi à minha família para fazer os doces e salgados. Ainda faltava atração e consegui um grupo de balé para se apresentar. E fizemos o primeiro Festival Germânico”, contou Emygdia, lembrando a evolução da festa ao longo dos anos. “Em 1984, já consegui uma Banda Marcial para se apresentar. No ano seguinte fui em uma cervejaria pedir as barracas emprestadas. Em 1987 já tínhamos cinco barracas.” Em 1988 ela assumiu a presidência do Clube 29 de Junho.

Festival Bauernfest
Foto: Edgar Pujol

Em 1989, a festa recebeu sua primeira atração internacional, com a banda austríaca Sankt Peter Freienstein, composta por 47 músicos. Não bastava o convite, era preciso bancar o cachê do grupo, de mil cruzados na época. Com a mesma iniciativa com que criou a festa, Emygdia buscou ajuda com as empresas da cidade arrecadando o valor para o cachê da banda.

“Consegui com 10 empresas e pagamos a banda. Foi engraçado, porque eles tocaram em uma noite apenas e foi um sucesso. Mas consumiram 53 garrafas de Steinhaeger (bebida destilada alemã) e meu filho que forneceu o lanche para eles”, lembrou Emygdia.

O crescimento e profissionalização do evento foi resultado da parceria entre os organizadores e o governo municipal, a partir de 1990. O evento deixava de ser Festival Germânico e já era conhecido como a Bauernfest – A Festa do Colono Alemão, uma homenagem a um dos fundadores do Clube 29 de Junho, Ernesto Gustavo Bauer.

Veja também:  10 destinos incríveis para curtir o feriado de 15 de novembro
bauernfest
Foto: Edgar Pujol

“Esse ano acho que foi uma das maiores festas. Já foi com 10 dias e quando ela foi para dentro do Palácio de Cristal também, e em todo o entorno. Eram 67 barracas espalhadas por todas as ruas. Foi um sucesso”, lembrou a presidente do Clube 29 de Junho, a maior responsável por defender as tradições dos nossos descendentes alemães em Petrópolis. “A Bauernfest foi criada com esse papel de resgatar as tradições e a história da nossa colonização. Por isso defendo tanto para não descaracterizar a festa. Ela cresceu, tomou grandes proporções e tem grande importância para o Turismo de Petrópolis. Sabemos que é o momento mais importante da cidade.”

[Texto escrito por Altair Nobre, editor da Revists Beer Art]

Cadastre-se

Receba Dicas de Roteiros Nacionais e Internacionais do Brasil e do Mundo.

Você vai se interessar…

Comprar Passagem de Ônibus