Home » Curiosidades » Conheça a cidade onde ‘dinheiro’ cresce em árvore
Curiosidades

Conheça a cidade onde ‘dinheiro’ cresce em árvore

Próximo ao Parque Histórico Nacional de Klondike Gold Rush, a remota cidade de Skagway no Alasca, tem chamado muita atenção e atraído visitantes de todas as partes do mundo. O motivo é que uma de suas moedas podem ser colhidas nas árvores da região.

Os famosos brotos de abeto (árvore conífera da família dos pinheiros) são utilizados como dinheiro em alguns estabelecimentos e podem ser transacionados para negociar comida, lenha, café e até cerveja.

cidade-alaska-dinheiro-arvore
Créditos: AKontheGO

A região revive uma época de sucesso, já que no século 19, o vilarejo era famoso por atrair aventureiros para a corrida do ouro. Hoje, ao invés de pepitas, quem dá as cartas no negócio local são os brotos de abeto.

A origem das negociações com a iguaria começou com uma tribo indígena chamada Tlingit e que misturava os brotos em seus chás, por acreditarem que os brotos eram ricos em Vitamina C (E realmente são).

Clique aqui e reserve hotéis fora do Brasil COM DESCONTO!

Além disso, eles foram utilizados em outras composições, como uma cerveja feita pelo capitão James Cook no final da década de 1770. Atualmente, a matéria prima serve para temperos, molhos e também possuem diversas funcionalidades como pomadas e cremes, com propriedades antimicrobianas que auxiliam no tratamento de picadas de insetos.

broto-de-abeto
Créditos: Pixabay

A cidade é pequena e os seus quase 1.000 habitantes não fazem uso de nenhum tipo de economia agrícola, por conta disso, colher os brotos passa a ser o mais próximo que as pessoas conseguem da máxima de “viver do campo”. No verão, o local recebe cerca de 10 mil passageiros de cruzeiros por dia e, muitos chegam para apreciar os diversos produtos à base de brotos de abeto. Cerveja e sorvete são os mais procurados.

Veja também:  Saiba quais cuidados devem ser tomados ao esquiar pela primeira vez

Consulte os melhores hotéis fora do Brasil COM DESCONTO!

Dona da Glacial Naturals, empresa que fabrica produtos artesanais como velas, sabonetes e óleos a partir da flora local, Annemarie Hasskamp relata que ao site Época Negócios que “Só o fato de eu poder sair e encontrar algo de graça, colher sustentavelmente algo de que gosto e transformar em um produto alimentício com valor agregado – só de fazer isso, aumenta o valor monetário que ele tem para mim”.

broto-de-abeto
Créditos: Julia_Sudnitskaya/Getty Images

Uma das cenas mais comuns na cidade é chegar na cervejaria Skagway Brewing Co., pedir uma cerveja artesanal local à base de brotos de aberto e pagar com um saco cheio da matéria prima da cerveja.

spruce-tip-blonde-beer-by-skagway-brewing-company-alaska
Créditos: skagwaybrewing.com

O grande desafio da comunidade é preservar a atividade e passá-la adiante para as próximas gerações, já que faz parte da cultura local. Um detalhe importante é que quem participa da colheita não pode colher brotos que não estão maduros o suficiente, tampouco maduros demais e aqueles que estão sem a concentração apropriada de açúcar.

Viva mais histórias com o Hurb!