Home » Guia de viagem » Guia de viagem: Bariloche
Guia de viagem

Guia de viagem: Bariloche

Prazer, San Carlos de Bariloche!

A começar pelo nome, acreditamos que San Carlos de Bariloche ou simplesmente Bariloche, já lhe desperta a curiosidade enquanto, subitamente, eleva o seu pensamento à montanhas nevadas e estações de esqui. Correto?

Mas o destino é muito mais do que isso e nós, do Hotel Urbano, lhe apresentamos uma Bariloche que no inverno atinge – 10°c, mas que durante o verão impressiona com seus esportes aquáticos, preços mais acessíveis e 30°c.
Bariloche

Roteiros

sao bernardo
Como não se apaixonar?

A primeira sugestão é o icônico “Centro Cívico”, uma espécie de praça onde se encontra museus, traços da influência europeia e os disputados São Bernardos, cachorros que posam para foto e são a sensação do local.

Outro lugar que não pode ficar de fora, ainda mais na alta temporada – entre junho e julho, que é quando está nevando -, é o “Cerro Catedral”. Para quem não sabe, “Cerro Catedral”, é um dos mais famosos centros de esqui do Hemisfério Sul, com cerca de 120 km de pistas, 19 lanchonetes e restaurantes e, ainda, uma área reservada para a criançada. Nas estações mais quentes do ano, o “Cerro” trabalha oferecendo trekkings com belíssimas paisagens.
A cultura marca forte presença em Bariloche! Incrementando o roteiro de quem não se restringe aos convencionais passeios ecoturísticos, os museus de “La Patagônia Francisco P. Moreno”, de “los Viejos Colonos”, “Paleontológico” e “del Chocolate” são as melhores sugestões. Comece pelo “Museo de La Patagônia Francisco P. Moreno”, inaugurado em 1940 e responsável por abrigar documentos, objetos indígenas e armas centenárias. Tudo relacionado à história da Patagônia e seus nativos.

Sala_del_Museo_de_la_Patagonia
Conheça a Patagônia mais a fundo no Museo de La Patagônia Francisco P. Moreno.

No “Museo de los Viejos Colonos” o viajante terá o prazer de conhecer um pouco da história de Colonia Suiza, vilarejo histórico próximo à cidade. Pelo “Museo Paleontológico” a experiência se desenvolve através de fósseis de animais, como por exemplo o de um tubarão de 22 milhões de anos.
Para fechar com chave de ouro esse tour cultural, vá ao “Museo del Chocolate”, local reservado à história do doce mais famoso do mundo e que conta a história de uma fábrica de chocolate criada por um casal de imigrantes italianos.
Voltando ao ecoturismo, os destinos e passeios mais requisitados são o de “Cerro Otto e Campanario”, “Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes”, “Circuito Chico” e a “Travessia do Lagos Andinos”. No “Cerro Otto e Campanario”, você terá o prazer de observar a natureza sobre os mirantes das 2 montanhas, passear de teleférico e almoçar num restaurante que gira em 360°, localizado no topo do “Cerro Otto”, a 1405 metros de altitude.

Veja também:  7 destinos sensacionais para aproveitar nas férias de Julho
Cerro-Otto
O Cerro Otto e Campanario é passeio obrigatório numa viagem a Bariloche!

Pela “Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes”, a ambientação é completamente diferente! Comece pelo bosque, apreciando as paisagens cinematográficas que teriam inspirado Walt Disney a compor o cenário de Bambi. Já na “Ilha Victoria”, situada no “Lago Nahuel Huapi”, a vegetação composta por sequóias e ñire é um colírio para os olhos. Este tour é aconselhável no verão, quando a temperatura amena possibilita o mergulho e a prática de esportes sob as águas da “Praia Del Toro”.

isla victoria
Durante o verão, aposte num passeio pela Ilha Victoria e se encante!

O “Circuito Chico” é considerado a apresentação turística de Bariloche, sendo imprescindível a realização, por mais curta que seja sua estada. Através dele, obtém-se uma visão geral da cidade, como do “Cerro Campanario”, da “Colonia Suiza” e da “Capilla San Eduardo”. O trajeto possui 65km e passa pelo “Parque Nahuel Huapi” e “Puerto Pañuelo”.
Prepare-se para a Travessia dos Lagos Andinos, uma curta viagem que vai de Bariloche a Puerto Montt no Chile e que proporciona ao viajante uma experiência única, passando pelo Lago de Todos Los Santos e pelas Cachoeiras do Rio Petrohué. O trajeto dura aproximadamente 1 ou 2 dias, dependendo da estação, e é feito sempre através de ônibus e embarcações.

Onde comer

restaurantes
Muito fondue e carne de primeira qualidade. Não resista à culinária de Bariloche!

Em Bariloche, como era de se esperar, a culinária argentina se evidencia através de deliciosos cortes de carne, como o do cordeiro, acompanhados por uma boa taça vinho Malbec (uva de origem francesa, que se adaptou muito bem ao clima argentino). Outras sugestões gastronômicas são as trutas assadas, o fondue e os pratos alemães. Se o desejo for o tradicional cordeiro patagônico, a sugestão é o restaurante Don Molina, localizado na Avenida San Martín, N° 605.
Para uma experiência diferenciada, leve sua melhor companhia ao El Refúgio, um restaurante especializado em fondues à luz de velas, cujo trajeto é feito por veículos  4×4  ou motos de neve. Ele está localizado no Arelauquen Golf & Country Club, Ruta 82, em frente ao Lago Gutiérrez.
Trutas frescas e assadas te dão água na boca? Vá ao Chez Philippe e satisfaça seu paladar.  O restaurante oferece um amplo cardápio, que vai desde os peixes da região ao saboroso fondue. O preço médio das refeições principais são de 10 dólares por pessoa. O Chez Philippe fica na Calle Primera Junta, N° 1080.

Veja também:  5 dicas de passeios com crianças em Bariloche para as férias de julho

Onde ficar

onde ficar Bariloche
Opção de ótimos lugares é o que não falta. Escolha o que mais combina com você e faça as malas.

A região  aconselhada por nós e preferida pelos turistas na hora da hospedagem é o centro, cuja distância do aeroporto é de apenas 15 km e uma grande variedade de hotéis, agências turísticas, bares e restaurantes garantem maior comodidade.
Nas montanhas de Bariloche,  a realidade é outra! Por lá, os Hotéis e SPAs contemplam o romantismo, o bem-estar e o clima intimista, oferecendo ao hóspede um contato direto com a natureza, centro de bem-estar, apartamentos de luxo e restaurantes sofisticados.  Um bom exemplo é o renomado El Casco Art Hotel.
Desde o mais barato ao mais caro, e do mais movimentado ao mais reservado, os hotéis não são a única fonte de conforto e teto seguro na cidade. Há opções de campings e casas de família que, durante a alta temporada, alugam os quartos em busca de dinheiro extra. Basta procurar!

 

Agora que sabe um pouco mais sobre San Carlos de Bariloche, enterre na neve aquele antigo estereótipo desse lugar. Planeje conosco uma viagem e saia da rotina em grande estilo. Bariloche com preço baixo é aqui!