Home » Curiosidades » Museus virtuais – visite os melhores museus do mundo
Curiosidades

Museus virtuais – visite os melhores museus do mundo

Um museu virtual é a melhor maneira de se programar para uma viagem enquanto estamos em isolamento / distanciamento social. Esse é o momento de se encantar com a cultura mundial através dos museus do Google Arts and Culture!

Visita virtual aos melhores museus do mundo

O isolamento social ocasionado pela pandemia, está nos fazendo encontrar novas opções culturais e de entretenimento. Os mais conceituados museus do mundo oferecem mostras virtuais de suas principais exposições, favorecendo, até mesmo, a interatividade e o compartilhamento dessas visitas nas redes sociais.

Tais iniciativas são de grande incentivo à arte e a educação nesses tempos incertos – uma maneira criativa de estabelecer novos saberes, contribuindo para as trocas de conhecimento. Com o Google Arts and Culture é possível e  você deve conhecer cada um deles antes de planejar sua próxima viagem. Uma antessala de todas as maravilhas que você, apaixonado pelas artes, poderá conhecer, confira:

Londres

Uma viagem a Londres sempre traz muitas surpresas! O Museu Britânico de Londres oferece uma exploração abrangente de sua coleção sendo possível encontrar em suas inúmeras exposições, acervos valiosos para a história da humanidade, nossa história.

British Museum
British Museum

Desde as Quadras de Chinchén Itzá até a história de Napoleão Bonaparte, é possível notar a riqueza de detalhes na descrição de cada peça e compreender seu valor cultural para o mundo, além disso, podemos encontrar em sua exposição virtual diversas curiosidades da cultura muitos povos. Há curiosidades fantástica sobre um jogo de bola maia, muito similar ao futebol. Segundo um documento do século XVIII intitulado como Popol Vuh, esse jogo contém a história de dois heróis gêmeos que jogam um jogo de bola com os Deuses da Morte no submundo e, após muitas provações, acabam os derrotando.  E esta, é apenas uma das muitas outras exposições virtuais deste vasto museu.

O Museu Britânico de Londres é um espaço virtual interativo em que é possível realizar uma espécie de passeio pela linha do tempo da história de nosso planeta. Representa a união entre Cultura e Tecnologia, reunindo conhecimentos arcaicos de todas as regiões, desde o Jade Cong da China Antiga (datado de 3.000 a.C.) até a pintura da Batalha de Adwa (1896) do continente africano, sendo, desta maneira, uma importante ferramenta de acesso à informações de cunho artístico, religioso, político, social, etc. Ao selecionar um determinado objeto e clicar novamente, será aberta uma pequena aba descrevendo as principais características presentes: O tipo de material, a técnica artista utilizada, o período histórico em que aquele objeto foi desenvolvido, dentre outras informações que se tornam importantíssimas para compreender o valor cultural que está impresso em cada peça.

Dessa forma, é possível compreender que o conhecimento cultural é muito mais importante do que imaginamos, é este conhecimento que irá transformar a maneira com que enxergamos o mundo e toda a história construída até os dias de hoje, pois, somente quando abrimos a novas informações, estamos aptos a ter diferentes pontos de vista às coisas que nos rodeiam.

A Galeria Nacional de Londres é um museu em Trafalgar Square, em Westminster, no centro de Londres, Reino Unido. Sua fundação se deu em 1824, abrigando uma coleção com mais de 2.300 pinturas que datam de meados do século XII a 1900. A Galeria, além de museu, é também uma instituição de caridade e organismo público do Departamento de Cultura, Mídia e Esportes. Sua origem se dá pela compra realizada pelo governo britânico de 38 pinturas dos herdeiros de John Julius Angerstein, um corretor de seguros e patrono das artes, em 1824. Após esta compra, a galeria foi sendo moldada por seus primeiros administradores, como Sir Charles Lock Eastlake e por doações privadas que compõem dois terços da coleção. É possível compreender que esta instituição cultural teve uma origem diferente dos demais museus europeus, que se concretizaram a fim de promover a nacionalização de uma coleção real, de nobreza, mas sim de tornar público algo que pertencia de sua própria sociedade. Trazer para dentro de uma Galeria de Arte algo que antes pertencia a uma família comum, mas que tinha seu valor cultural foi algo inovador para aquela época como continua sendo até os dias atuais.

Veja também:  Museu de Arte Popular mexicana promove o folclore e artesanato dos povos
London National Gallery
London National Gallery

Para conhecer a estrutura interna e as coleções presentes na Galeria Nacional de Londres, é possível realizar uma visita virtual que disponibiliza informações sobre cada pintura em 18 salas para serem vistas mais de 300 pinturas diferentes em sua exposição permanente. Além desta visita virtual proporcionada pela própria galeria, é possível estudar com mais profundidade os estilos artísticos presentes nos autores mais conhecidos, tais como: Van Eyck, Velázquez, Turner e Van Gogh.

https://my.matterport.com/show/?m=miZxkq7DLCv&sr=1.15,-1.45&ss=3

Holanda

O anexo secreto onde Anne Frank e sua família se esconderam durante a ocupação nazista ganha vida em formato digital. Existem tantas maneiras diferentes de experimentar a famosa Casa de Anne Frank. Se você tiver todo o sofisticado equipamento de realidade virtual, poderá baixar um aplicativo de realidade virtual gratuitamente na loja Oculus e sentirá que está lá. A extensa e impressionante versão online da Casa de Anne Frank também é altamente recomendada! Conheça também o videodiary de Anne Frank

Localizado no emblemático Museumplein de Amsterdã, o Rijksmuseum é um dos maiores museus da Holanda. Sua coleção compreende mais de um milhão de objetos dedicados às artes, artesanato e história de Amsterdã e da Holanda, que datam da Idade Média ao século XXI. Navegar em todo o Rijksmuseum no Street View pode levar horas e o mesmo vale para a criatividade do “Rijksstudio“, o recurso on-line no site do Rijksmuseum Mas, se você tem horas em suas mãos e um amor pela arte, por que não?

A visita virtual do Museu Van Gogh está traz um museu inteiro para você! Em suas próprias palavras, há “coisas a fazer para crianças pequenas, crianças em idade escolar, os” apenas curiosos “e os amantes da arte obstinados”. O museu abriga a maior coleção de pinturas de Vincent van Gogh no mundo. Acompanhe o desenvolvimento do artista ao longo do tempo e compare suas pinturas com obras de outros artistas da época de Van Gogh.

van Gogh Noite estrelada
Van Gogh Noite estrelada

Veja também: 

Visite Museus e Pontos Turísticos pelo mundo sem sair de casa 

10 museus brasileiros que talvez você ainda não conheça

Tecnologia permite que pessoas cegas “vejam” Monalisa e outras obras de arte em museus

Estados Unidos

O Metropolitan Ópera de Nova York está exibindo “Nightly Met Opera Streams”; performances filmadas de sua série “Live in HD”. As óperas começam às 19h30min EST e permanecem online por 20 horas. A série começou em 16 de março. Encontre mais informações e uma programação das próximas óperas 

O Museu Gugguelheim possui um dos mais completos acervos virtuais além de ser um dos mais conhecidos museus de arte dos Estados Unidos, sendo valorizado por sua estrutura que por si só mostra uma arte dos tempos modernos, um prédio serpenteado (idealizado pelo arquiteto Frank Lloyd Wright). Por dentro, é possível encontrar as mais conhecidas obras de renomados artistas como: Norman Rockwell, Pablo Picasso e Wassily Kandinsky. Viajantes de todo o mundo estão de acordo que o museu nunca decepciona, em relação a surpreender seus visitantes, pois sua estrutura e as obras que abriga são admiráveis.

Veja também:  A vida imita a arte. Os aplicativos reproduzem-a
Guggleheim New York
Guggleheim New York

É possível ainda sentir essa mesma emoção ao visitar a imensa exposição virtual disponibilizada pelo Guggenheim Museum, que conta com mais de 1.700 obras de arte produzidas por mais de 625 artistas diferentes! Esta seleção de peças demonstra toda a extensão, diversidade e a relevância da Fundação Solomon R. Guggelheim, desde o século XIX até os dias atuais. Além disso, a exposição virtual continua em expansão, ou seja, estará contando com atualizações em que será possível encontrar novas obras de arte, e também novas aquisições do museu! Para compreender a grande importância deste museu, usaremos como exemplo uma das publicações disponíveis no site: “Traçando a história das montanhas de Vicent Van Gogh em Saint-Rémy”, nessa publicação podemos encontrar um texto produzido pela curadora Megan Fontanella que explicará toda a trajetória da pintura de Van Gogh até chegar ao Museu Guggenheim, desde a sua criação, até a entrada da obra no museu.

Essas e muitas outras curiosidades podem ser encontradas na visita virtual ao museu, enriquecendo o conhecimento cultural e ajudando também na divulgação desses espaços virtuais, que se mostram importantíssimos nos dias atuais, pois representam a sobrevivência do conhecimento e sua capacidade de adaptação às novas tecnologias.

E se você quiser envolver as crianças, o Boston Children’s Museum faz um tour virtual por suas instalações.

O Kennedy Center, localizado em Washington, DC, possui uma biblioteca digital repleta de clipes de apresentações de teatro, dança e música, além de apresentações completas. Acesse a biblioteca completa aqui.

Outro importante museu que abre suas portas virtuais nos Estados Unidos é National Gallery of Art: Washington, DC – O principal museu de arte de propriedade do país lista mais de 42.000 obras de arte on-line e duas “exposições” especiais: “Vermeer e os Mestres da Pintura de Gênero”, da exposição de 2018 da galeria, concentra-se no sempre popular mestre holandês do século XVII Johannes Vermeer .

National Gallery of Art
National Gallery of Art

França

Curioso sobre o Palácio de Versalhes? Dê um passeio no Hall of Mirrors e passeie pelos vastos corredores. Saiba como foi o terreno de pisada de Maria Antonieta! Não podemos culpá-la por sugerir que todos comemos bolo quando nos imaginamos em um lugar como este! Coloque tudo em perspectiva com um tour virtual pelo Palácio de Versalhes. Será como ter um palácio só para você!

Principalmente focado na arte francesa de 1848 a 1914, o Musee d’Orsay no Google Street View é uma visão para os olhos doloridos. As obras de arte em si são excelentes, zoneando os impressionistas e pós-impressionistas como Cézanne, Monet, Manet, Degas, Renoir, Seurat, Sisley, Gauguin e Van Gogh. Não só isso, mas o museu é uma antiga estação ferroviária e o passeio virtual oferece uma incrível sensação de espaço que você quase consegue imaginar como deve ser a acústica do edifício.

Veja também:  Monumentos de Barueri: conheça as obras de arte na cidade de São Paulo

O Louvre foi um dos primeiros museus a receber manchetes internacionais sobre seu fechamento devido ao coronavírus. O estabelecimento icônico é o maior museu de arte do mundo. Seu vizinho Jardim das Tulherias e Cour Carrée também permanecem fechados.

Felizmente, o Louvre possui um conjunto elaborado de recursos on-line, de informações detalhadas sobre obras de arte e artefatos, atividades divertidas de aprendizado para crianças e, é claro, você pode fazer alguns passeios virtuais no Louvre. Considerando que o museu ocupa 60.600 metros quadrados, a versão on-line não é nem a ponta do iceberg, mas vale a pena dar uma olhada!Museu do Louvre

Itália

Não é de admirar que o local de origem do Renascimento seja o lar do museu de arte mais visitado da Itália. A proeminente família Médici deu sua coleção de arte à cidade de Florença como um presente no século XVI e, assim, a Galeria Uffizi foi criada. Nesse site será possível encontrar além de maiores detalhes de como a Galeria surgiu e se desenvolveu ao longo dos séculos, os eventos ocorridos para que a Galeria se tornasse o que é hoje.

Créditos: Elias Rovielo

Adição de novas coleções; criação de novas alas dentro da Galeria tais como: a Sala das Porcelanas e a Sala de Desenhos e Estampas; mudanças de estilo artístico a ser exposto na Galeria devido a uma mudança de famílias no poder, dentre outras curiosidades. Até hoje, continua a se especializar na pintura renascentista. Obras preciosas de Giotto, Michelangelo, Rafael, Donatello, Leonardo da Vinci, Boticelli, Caravaggio, Albrecht Durer e Rembrandt estão todos lá para serem admirados.

Os Museus do Vaticano têm algumas das coleções mais famosas do mundo, e seria impossível ver todos os tesouros com uma única visita. Felizmente, o Vaticano criou um guia on-line detalhado das coleções, que inclui passeios em 360 graus e vídeos de muitas das salas mais famosas e várias alas.

Museu do Vaticano
Museu do Vaticano

Além desses locais, há também o Museu que recebeu seu nome de seu principal artigo em exposição: o Museu Ara Pacis. Mas, o que seria Ara Pacis? Para responder a essa pergunta, teríamos que voltar aos tempos do Império Romano e nos lembrar do imperador Augusto, pois foi ele que, em 9 a.C. dedicou um altar de adoração à Deusa Pax (Paz), para celebrar o período de Pax Romana. Este monumento, uma obra-prima da arquitetura romana, representa um dos mais significativos testemunhos da arte da época de Augusto, e pretende simbolizar o período de paz e prosperidade vivido durante a Pax Romana. De facto, a 5 de julho de 13 a.C., o senado decidiu construir um altar dedicado a esse feito, em ocasião do retorno de Augusto de uma expedição pacificadora de três anos na Espanha e na Gália meridional.

Altar do Ara Pacis
Ara Pacis – templo dedicado a Deusa Pax pela paz romana

Além do famoso além do famoso altar, você também terá acesso a exposições temporárias realizadas na instituição. Um espaço interativo, que permite os visitantes a explorarem de mais de perto peças criadas a milhares de anos! Além disso, em determinadas partes da exposição do subsolo estarão espalhados textos explicativos sobre Roma e seus imperadores, as histórias e fatos ocorridos naquela época.

Fernando Alencar Moreira é graduando de Museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO.