Home » Curiosidades » Réveillon – Principais queimas de fogos e tradições pelo mundo
Curiosidades Datas Comemorativas

Réveillon – Principais queimas de fogos e tradições pelo mundo

Sidney Réveillon
Sidney dá um show todo dia 31 de dezembro

E mais um ano se acaba! Enquanto 2012 se despede com seus últimos dias, os preparativos para as festas de réveillon já começam em todo mundo.

As celebrações são as mais diversas possíveis. Além dos clássicos shows pirotécnicos, garantia de muitos fogos de artifício e luzes, há também papel picado, banho de mar, balões soltos no ar, festas com mais de 10 dias de duração e até quem vá ao cemitério recepcionar parentes que já se foram.

Confira abaixo algumas cidades que organizam os réveillons mais famosos e/ou atípicos do mundo!

 

Sidney (Austrália)

Harbour Bridge e a Opera House de Sydney
Queima de fogos na Harbour Bridge, com a Opera House em primeiro plano

Quando se fala em Réveillon, logo se lembra em queima de fogos. E Sidney protagoniza um dos mais impressionantes espetáculos pirotécnicos do mundo. A cidade também tem um bom motivo para fazer bonito, pois o segundo grande centro urbano a romper o ano. Logo, as imagens da festa rodam todos os cantos do planeta com a tradicional manchete “E já é ano novo em Sidney…”.

Pequim (China)

Pequim - Templo do Céu
Luzes, papéis picados e balões deixam o Templo do Céu com visual único

Como na China não se segue o calendário gregoriano, mas sim o lunar (baseado no tempo que a Lua leva para completar uma volta em torno da Terra), o ano novo é celebrado no 23º dia do último mês lunar. É uma tradição entre os chineses oferecer comida ao Deus da Cozinha, assim como colar papéis com dizeres de bom presságio nas portas e janelas, e limpar a casa para afastar os maus espíritos. Quando o ponteiro marca meia-noite é hora de comer os bolinhos cozidos chamados de guioza. A festa só termina oficialmente 15 dias após a virada do ano, com outra festa, a das Lanternas.

Tóquio (Japão)

Balões ano novo Tóquio
Os tradicionais balões transparentes marcam a chegada do novo ano em Tóquio

Os japoneses iniciam os festejos já no dia 29 de dezembro, e só param de dar boas vindas ao novo ano no quarto dia de janeiro. A cidade realmente para. Somente os serviços essenciais continuam operando. Uma tradição que marca o fim de ano por lá é o “Bonekai”, que é quando as pessoas se reúnem, geralmente são colegas de trabalhos e amigos, para se despedir do velho ano e deixar para trás os litígios e desentendimentos ocorridos ao longo do ano. Outros costumes bem tradicionais são o “oo-Souji”, que significa fazer uma limpeza geral na casa com o intuito de purificar a casa para o novo ciclo, e comer macarrão meia-noite em ponto.

Veja também:  Viagem de Réveillon com a família: dicas e melhores destinos

Moscou (Rússia)

Praça Vermelha Moscou
Na Rússia, o Ano Novo  tem clima de Natal

A maior festa de inverno na Rússia é a de fim de ano. Mesmo com a baixa temperatura, que chega aos 10º Celsius negativos, os russos lotam a famosa Praça Vermelha, local onde acontece a queima de fogos. A particularidade no país é que a tradição de troca de presentes, que normalmente ocorre no dia 25 de dezembro, só tem início no primeiro dia do ano, data em que o Ded Moroz (Vovô Frio) passa para entregar os presentes para as crianças. Outra curiosidade do réveillon russo é a Árvore de Ano Novo, que substituiu a tradicional Árvore de Natal, proibida durante a Primeira Guerra Mundial por ser um símbolo ligado à cultura germânica. Tá aí, mais um fato que faz o ano novo russo o mais natalino de todos.

Nova York (Estados Unidos)

Confete Times Square
A multidão ignora o frio do inverno estadunidense e se aglomera na Times Square

A chuva de confetes que acontece na Times Square é a principal atração de um dos festejos de virada de ano mais disputados do mundo. E como os americanos sabem produzir eventos como ninguém, o réveillon que acontece na esquina da Broadway com a 7ª Avenida já se tornou um evento internacional. O ápice da festividade é o momento em que uma bola de cristal iluminada, localizada no topo de um edifício, desce 24 metros até encontrar o relógio que faz a contagem regressiva. Mais de um milhão de pessoas são esperadas para o evento nesse próximo réveillon.

Copacabana (Brasil)

Réveillon Copacabana
A queima de fogos mais bela do planeta

Dois milhões. Esse é o número de pessoas que invade a orla de Copacabana para assistir aos 16 minutos necessários para detonar as 24 toneladas de fogos de artifício que ficam distribuídos em 11 balsas. A organização do evento prepara duas grandes novidades para a virada de ano mais famosa do Brasil. A primeira é o “Sino de Vento”, onde confetes brilhantes serão jogados do céu em direção à galera. A segunda é o Light Show, que contará com equipamentos de iluminação LED que ficarão perto das balsas e iluminarão os céus, dando mais beleza e harmonia à queima de fogos.

Veja também:  Conheça o Rio Dream Weekend, o evento que promete marcar seu Réveillon

Curiosidades pelo mundo

Na cidade chilena chamada Talca, minutos antes da virada do ano, as pessoas se deslocam até o cemitério para receber o novo ano “perto” dos entes queridos que já se foram. O portão do cemitério abre todos os anos, religiosamente às 23h45 do dia 31 de dezembro.

O Hogmanay, réveillon escocês, tem início às 8h do dia 31 de dezembro só acaba às 6h do primeiro dia do novo ano. Em Edinburgo, capital do país, há desfile de homens trajados com os típicos saiotes locais. A bebida mais comum não poderia ser outra: uísque. Normal. Não é qualquer um que encara o destilado difundido pelo próprio país, mas quem quiser comer algo, deve se preparar, pois pratos à base de intestino e testículos de carneiro são bem comuns na região.

Na Índia, além do foguetório que acontece na rua mesmo, e das festanças suntuosas nos hotéis mais luxosos, são feitas fogueiras onde são jogados objetos que representem impureza e doenças.

Suécia Ano Novo
Frio?! Que isso, imagina…

Já na Holanda, França, Suécia e em vários outros países da Europa, o primeiro mergulho do ano é uma tradição que só os mais corajosos conseguem executar. Por que é preciso coragem? Simplesmente pelo fato de ter que entrar no mar em pleno período de inverno no hemisfério norte, que tem temperaturas abaixo de zero.

E você? Onde vai passar o réveillon?