Home » Dicas de Viagem » Viajar com a família? Incentive todos a contribuírem para este objetivo!
Dicas de Viagem

Viajar com a família? Incentive todos a contribuírem para este objetivo!

Um dos principais desejos das famílias é viajar na época das férias. Seja uma viagem para a praia, para o campo ou até para fora do país, no final do ano e nas férias muitas famílias buscam o merecido descanso e aproveitar para conhecer lugares novos.
viajar-em-familia
créditos: Pixabay

As duas formas de pagar a viagem

Só querer viajar não basta. Há um esforço financeiro necessário para viabilizar este desejo. E, para isso, existem duas formas de conseguir este dinheiro: emprestando dinheiro ou guardando ao longo de um período para juntar o montante necessário. Pegar dinheiro emprestado é uma possibilidade, sim, mas lembre-se que você pagará juros, ou seja, a viagem custará mais para o seu bolso.

créditos: forbes.com.br

Você deve até estar pensando: “Mas e o cartão de crédito? Não preciso nem guardar e nem pegar emprestado”. É aí que você se engana, o cartão de crédito, como o próprio nome já diz, é um instrumento de crédito, ou seja, de dinheiro emprestado. A grande vantagem é que se você pagar a sua fatura em dia, você não pagará juros, algo que não acontece em nenhuma outra linha de crédito. Outra vantagem é a possibilidade do parcelamento. Porém, nem tudo são flores. Se você atrasar alguma das faturas, os juros não só aparecem, como também são um dos juros mais altos do mercado, ao lado do cheque especial. E, mesmo o parcelamento, que parece ser uma ótima vantagem, deve ser bem planejado, porque aquela “parcelinha” que parece pequena em um mês, quando somada às várias outras “parcelinhas” podem chegar em um valor que extrapole o orçamento do mês.

Dessa forma, quem não tem urgência para fazer a viagem com a família tem um caminho que pesa menos para o bolso: poupar dinheiro para este objetivo. E mais do que apenas poupar, a família pode buscar investimentos, conforme trouxemos em um artigo anterior. Os investimentos farão, neste caso, ao contrário dos empréstimos, os juros trabalharem a favor, ou seja, o dinheiro trabalhará para vocês.

Veja também:  Os 10 países onde o real vale mais que a moeda local

A Poupança Coletiva

Para este ato de juntar dinheiro para a tão desejada viagem em família, é importante, antes de tudo, fazer um planejamento, para levantar o destino da viagem, em qual época do ano ela será feita e a duração da viagem. Com estes levantamentos, o passo seguinte é buscar os valores, para saber quanto a viagem custará. Lembre-se de levantar todos os gastos: transporte, hospedagem, alimentação, compras, passeios, e por aí vai. É importante que essa etapa do planejamento seja feita com toda a família, pois isso contribuirá muito para o próximo passo: a poupança coletiva.

Definido o valor total da viagem e quanto tempo falta para a realização da mesma, é importante definir quanto cada um pode contribuir para o “cofrinho da viagem”. Os adultos, por possuírem a maior fonte de renda, contribuem mais, mas, é muito importante engajar os filhos a guardarem um pouquinho por mês. Mesmo que sejam as moedinhas que sobraram do lanche da escola, este é um processo de educação financeira, que mostrará para os filhos a importância de guardar dinheiro. Desta forma, todos estarão engajados para um mesmo objetivo, e, aprenderão, a dar valor para o dinheiro.

porquinho moedinhas
créditos: Pixabay

O local para juntar esse dinheiro vai de cada um. Para quem tem filhos mais novos, ter algum lugar físico, como um cofrinho ou uma caixa de papelão, lacrados e com identificações que é o dinheiro da viagem acabam sendo uma forma bem visual e interessante. Para quem não tem filhos ou já possuir filhos mais velhos, um investimento pode ser mais interessante, já que terá a rentabilidade. Existem, inclusive, algumas plataformas que permitem investimentos de forma coletiva.

E independente da forma escolhida, para essas contribuições, é importante que a família busque fazer algo com recorrência, seja toda semana ou todo mês, o importante é ir juntando. No começo, o cofrinho pode parecer vazio e longe de ficar cheio, mas a constância e a contribuição de todos irá enchê-lo e, a tão desejada viagem estará viabilizada e sem o risco de prejudicar o orçamento futuro.

Veja também:  Como a Educação Financeira pode te ajudar a viajar em 2020

Victor Barboza

Especialista em Finanças e Fundador da GFC – Gestão Financeira Criativa